Sant´ Ana do Livramento

25 de Setembro de 2017

Confusão no Legislativo termina com soco

Fábio Pérez é conhecido por gerar polêmica com suas matérias na cidade. Ele reconheceu o tipo de trabalho que faz, mas disse que é seu jeito de ser

Uma tentativa de entrevista terminou com a paciência de funcionário e assessor da mesa administrativa da Câmara de Vereadores de Santana do Livramento, nesta quarta-feira (17). Um repórter autônomo acabou sendo agredido, após não conseguir uma palavra do vereador Enrique Civeira (PDT).
Fábio Perez, conhecido na cidade por matérias polêmicas, tentou falar com o vereador Civeira, o Neneco. Quando viu que não conseguiria o retorno de Neneco, saiu, atrás do vereador e de um assessor da mesa administrativa do Legislativo, tentando forçar passagem.

No início do vídeo que Perez gravou durante a confusão, ele diz:
“A gente está tentando entrevistar o vereador Civeira. O vereador Civeira não quer falar conosco”.
Quando Civeira passa por ele e toma sua frente, Pérez dispara:
“Vereador, porque o senhor não quer falar conosco vereador? Educado o senhor vereador?. O vereador não fala com a imprensa”.
Aí começa o desentendimento de Pérez com o assessor:
“Dá licença Márcio. Olha aqui ó, estão trancando nós aqui tchê. Dá licença, dá licença, tu está trancando nós, tu está nos obstruindo. Isso aqui não, cara, isso aqui é ofensa. Dá licença, que é isso. Não empurra, não empurra, cara, por que tu empurrou nós?”.
Calado o tempo inteiro, e seguido por Pérez, o assessor, de iniciais M.C.G.P, abriu a porta do gabinete de Neneco, voltou, fechou a porta e deu um soco em Fábio Pérez, como mostra o vídeo que o repórter gravou.
Para A Plateia, Fábio Pérez afirmou: “Eu ia tentar pegar a versão dele, já que ele tinha falado ali na Câmara de Vereadores. O Márcio tentou obstruir e eu não aceitava a obstrução dele. Nada justifica a agressão dele. O gabinete do vereador é aberto à população, posso entrar a hora que quiser; não posso entrar ali dentro do recinto dele, mas o gabinete é aberto à comunidade”.
O vereador Enrique Civeira também se manifestou sobre a ocorrência:
“Vinha descendo as escadas e o único que via era o rapaz Fábio Pérez me chamando de mal-educado e disso e daquilo. Cheguei em meu gabinete e peguei minha chave, pois tinha médico. Saí da sala e vim saber do acontecido depois. Sou totalmente contra qualquer ato de violência. Nada justifica a violência. Fatos assim não podem acontecer na casa”, disse.
Pérez sabe que suas matérias, relatos e tentativas de entrevista geram polêmica pela forma como faz seu trabalho:
“Sei que sou polêmico, vou continuar a fazer esse jornalismo, mas é meu jeito de ser. Sou contra mim mesmo de vez em quando, falo mal de mim mesmo. Pedi socorro na Câmara de Vereadores e nenhum vereador foi capaz de me dar socorro”, reconheceu inconformado por não ter ajuda de ninguém no momento.

Neneco explicou do porquê de não falar para Fábio Perez:
“Hoje (ontem) veio esse rapaz que falta o respeito com todo mundo, me disse um monte de coisa lá em cima, desci, mas para mim não tem problema, porque já tenho orientação de meus advogados que não era para conversar com esse rapaz”.
Agora, Enrique Civeira deve solicitar abertura de Sindicância na Casa, conforme disse à reportagem de A Plateia:
“Vai partir deste  vereador, porque os fatos ocorreram na frente de meu gabinete, de pedir para a casa que seja aberta sindicância para apurar responsabilidades, é o que posso fazer e o que posso falar no momento”, enfatizou.
A reportagem fez contato com M.C.G.P para ter a versão dele sobre o caso. Ele disse não querer se manifestar.
“Não tenho nada a falar sobre isso”, respondeu.
O assessor da mesa da Câmara fez boletim de ocorrência em que aparece como vítima, alegando ter sido agredido com empurrão por Fábio Pérez.


Por: redacao@jornalaplateia.com - 18/05/2017 às 9:34

Pesquisar